quarta-feira, abril 21, 2010

Cidadania


No nosso dia a dia deparamo-nos com diversos flagrantes de desrespeito a cidadania, e por vezes nos lugares e situações mais inusitados. Freqüentemente ao levar meus filhos à escola vejo pais e mães que estacionam em fila dupla ou até tripla para poderem deixar seus filhos exatamente em frente ao portão e não precisarem andar alguns metros, caso tivessem que estacionar adequadamente seus carros, paradoxal essa situação não? Pois se levamos nossos filhos a escola é de se supor que quiséssemos que fossem educados, mas acabamos ensinando a não serem bons cidadãos.
E os maus exemplos infelizmente não param por aí, observem a quantidade de carros que trafegam acintosamente em velocidade inadequada em ruas que possuem escolas, inclusive nos horários de entrada e saída de crianças, alguns chegam ao absurdo de após deixarem seus filhos seguros na escola, saírem acelerando como se estivessem atrasados para algum compromisso, ou como se somente a segurança de seus filhos merecesse sua atenção.
E a lista de desrespeito a cidadania é extensa, são exemplos de carros estacionados em vagas exclusivas para portadores de necessidades especiais, aguardando o semáforo abrir enquanto mantém seus veículos sobre a faixa de pedestre, pessoas sentadas em assentos reservados a idosos e que não levantam quando pessoas nestas condições entram nos coletivos, pessoas que furam a fila tanto em bancos e supermercados como em seus veículos, enquanto aguardamos para entrar em alguma avenida e alguém ultrapassa a vários veículos pela direita e entra na frente de todos achando a atitude mais normal do mundo, e assim como essas, existem uma infinidade de outras atitudes dignas de serem punidas ou no mínimo utilizadas como exemplos para que mostrássemos a nossas crianças como NÃO se deve agir.
Pois bem, estava pensando a esse respeito outro dia, enquanto esperava o semáforo abrir e observava a quantidade de escolares que tinham que desviar dos vários veículos estacionados sobre a faixa de pedestres, acredito que essas atitudes sejam estimuladas face à uma completa incapacidade dos órgãos oficiais de fiscalizarem a maioria das situações, e até porque existe mesmo uma sensação de impunidade, somada a um anonimato, que acaba estimulando esses atos. Será que se tivéssemos o hábito de reclamar com esses cidadãos (cidadãos?) eles não diminuiriam seus atos de desrespeito? Se a cada vez que víssemos alguém estacionado sobre a calçada ou em fila dupla ou tripla, tirássemos uma foto com nosso celular e enviássemos para um portal, que publicasse esse registros de desrespeito a cidadania?
Que tal disponibilizar um portal que pudesse explicitar esses diversos exemplos contra a cidadania em nossas cidades?

6 comentários:

Eduarda Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduarda Melo disse...

Infelizmente as pessoas estão se esquecendo dos valores e dos princípios de respeito e principalmente de que fazermos parte de um grupo.
O curioso é, o que mais se ouve e se lê atualmente é a palavra sustentabilidade, e as pessoas ficam “eufóricas” com o tema de como ser sustentáveis, outras pensam que não há nada para ser feito, outras que isso é só responsabilidade de grandes empresas e nos esquecemos que ser sustentável é integrar e harmonizar os aspectos sociais com o econômico e ecológico. Ai vai uma dica não precisa “inventar a roda” para ser sustentáveis, praticar a “cidadania” já é um grande passo.
Precisamos acordar os sentidos, abrir a mente e ampliar a consciência para mudar atitudes.

Anônimo disse...

Edu outro dia foi enviado este e-mail que achei interessante:
Antes de reclamar dos outros olhe para você primeiro;
Que grande verdade, espero que estejamos acordados ao ler isso!!!
Não é por isso que temos que nos conformar com as corrupções, mas que é a dura realidade, é.
Tá reclamando do Lula? Do Wellington Salgado? Do Sarney? Do Collor? Do Renan? Do Palocci? Da Dilma? Do Jucá? Do sapo barbudo? Brasileiro reclama de quê? O brasileiro é assim:
1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.
2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.
4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.
5. - Fala no celular enquanto dirige.
6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.
7. - Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.
8. - Viola a lei do silêncio.
9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.
10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.
12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
13. - Faz gato de luz, de água e de tv a cabo.
14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.
16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.
18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.
20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
21. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.
22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.
23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.
25. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.
26. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... como se isso não fosse roubo.
27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.
28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.
29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.
30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.
E quer que os políticos sejam honestos...
Escandaliza-se com a farra das passagens aéreas...
Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não? Brasileiro reclama de quê, afinal?
E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!
Vamos dar o bom exemplo!
Espalhe essa idéia!
"Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso Planeta, através dos nossos exemplos..."
Autor desconhecido

Valter Fonseca disse...

Edu aqui é o Valtão, quando fui enviar o comentário foi como anononimo, peço desculpas!

Edu@rdo Rabboni disse...

Valeu pelo comentário Eduarda, é isso mesmo, o conceito de sustentabilidade há muito evoluiu para um conceito sistêmico embasado na continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana. PErmaneça Conectada no Mundo.

Edu@rdo Rabboni disse...

Grande Valter, seja sempre bem vindo no MundoConectado, aqui você não precisa pedir licença para falar, e nem desculpas após postar :-)
Esse texto é muito interessante e simples, e nos remete mais uma vez ao básico, como disse a Eduarda no comentário anterior, agir com cidadania é ser sustentável, muito simples! E pensando de forma mais abrangente, é ser ÉTICO, sim pois o melhor conceito de ética é aquele em prol do bem comum, e nada mais sustentável do que pensar no bem comum!